Temos um conjunto de lojas com grandes descontos! Comprove na nossa página informação!

Explore todas as lojas disponíveis e consiga descontos pelas suas compras. O melhor preço online.

Lojas Online ||| Hoteis Voos ||| Circuitos e Serviços de Turismo ||| Hosting Sofware ||| Serviços ||| Jogos



Home » Arquivo

Artigos na categoria: Aldeias de Xisto

Aldeias de Xisto, Destaques »

[ | Comentários fechados em Aldeias de Xisto | ]
Aldeias de Xisto

27 Aldeias de Xisto
As aldeias todas juntas formam bonitos cenários e dão requinte ao nosso país. Conheça-as em família e leve também os amigos consigo, todo o ano!
Escondidas entre serras de vegetação frondosa, as aldeias de xisto são um dos nossos segredos mais bem guardados, mas que os seus habitantes, prazenteiros e afáveis, gostam de ajudar a desvendar.
Neste mundo mágico, onde as horas passam mais devagar, vivem populações acolhedoras com tempo para receber bem quem os visita. E para partilhar as suas histórias, artes e tradições. Como gostamos de saborear as …

Aldeias de Xisto »

[ | Comentários fechados em Serra da Lousã | ]
Serra da Lousã

A Serra da Lousã é uma serra que conjuga de forma única a vertente cultural e humana das Aldeias do Xisto.
Da Serra da Lousã
Junto à Lousã, destacam-se Talasnal e Casal de São Simão. Mas pelas doze aldeias estão distribuídas a simpatia, a densa natureza, o Ecomuseu de Aigra Nova, o castelo de Casal Novo, a maior altitude em Aigra Velha (a 770m), o rebanho e o casal de habitantes do Chiqueiro, a proximidade das praias fluviais desde Comareira, as pedras esculpidas de Gondramaz ou a Pena, que se eleva abrigada dos penedos. Candal é …

Aldeias de Xisto »

[ | Comentários fechados em Serra do Açor | ]
Serra do Açor

A Serra do Açor é uma serra que conjuga de forma única a vertente cultural e humana das Aldeias do Xisto.
Da Serra do Açor
Começando pelas aldeias mais a norte, que são cinco, encontramos a já referida Aldeia das Dez; Benfeita e a sua torre sineira da paz; Fajão com os seus penedos de quartzito a lembrar castelos; Sobral de São Miguel, considerado “o coração do xisto”; Vila Cova de Alva, aldeia com janelas manuelinas e diversos monumentos.
Serra do Açor  [ 5 aldeias de xisto]

Aldeia das Dez
Benfeita
Fajão
Sobral de São Miguel
Vila Cova de Alva

Da Serra da …

Aldeias de Xisto »

[ | Comentários fechados em Tejo-Ocreza | ]
Tejo-Ocreza

É o grupo mais pequeno, com apenas quatro aldeias, mas o que possui maior distribuição territorial. Localizam-se num território já com menor influência atlântica e preponderante influência mediterrânica.
Junto ao Tejo-Ocreza
Água Formosa, a que fica mais no centro do próprio país. Figueira, onde se chega pelo cheiro a pão quente do forno comunitário e se está numa aldeia rural com feno, horta e gado. Martim Branco, onde o pão também tem lugar de destaque e o xisto convive com o granito para manter a qualidade das casas. Sarzedas, a única aldeia …

Aldeias de Xisto »

[ | Comentários fechados em Zezere | ]
Zezere

Comum a este grupo de seis aldeias é a sua implantação nas proximidades de uma margem do Rio Zêzere
A acompanhar o rio Zêzere
Álvaro, Barroca, Janeiro de Baixo e Janeiro de Cima, Mosteiro e Pedrógão Pequeno são as seis aldeias deste agrupamento de casas em que o xisto é material dominante e se mantém a harmonia entre o património religioso e o rural, se acompanha os ciclos agrícolas, se respeitam penedos, vales e ribeiras, se unem as duas margens de um rio num barco a remos, se ocupa com entusiasmo o …

Aldeias de Xisto, Martim Branco »

[ | Comentários fechados em Martin Branco | ]
Martin Branco

Assim se vivia, com arte e muitos ofícios
Esta é uma aldeia que se esqueceu do tempo. Por detrás das casas da última rua, a ribeira de Almaceda faz cantar as águas e os rouxinóis.
A aldeia ficou ali, ao lado da ribeira, a ver as pessoas a partir. E assim ficou durante de muitos anos, até que, há alguns anos, despertou dessa dormência. Por detrás das casas da última rua, a ribeira de Almaceda faz cantar as águas e os rouxinóis. Lá fora, o forno comunitário ainda exala o cheiro do pão …

Aldeias de Xisto, Sarzedas »

[ | Comentários fechados em Sarzedas | ]
Sarzedas

Uma aldeia na charneca
Sarzedas é a única Aldeia do Xisto que teve um título nobiliárquico atribuído. Atualmente, a torre sineira serve de miradouro para a aldeia e para a charneca que a envolve.
Sarzedas distingue-se pelos traços de cor que lhe marcam as fachadas das casas rebocadas a caminho da Fonte da Vila. Antiga Vila e sede de Concelho, o seu Pelourinho, o Largo, as Igrejas e Capelas, sobressaem numa malha urbana com casas de belo traçado e volumes grandiosos, que atestam a presença marcante da História.
No Alto de São Jacinto, junto à Igreja Matriz, …

Aldeias de Xisto, Sobral de São Miguel »

[ | Comentários fechados em Sobral de São Miguel | ]
Sobral de São Miguel

O coração do xisto
Os seus habitantes consideram que a aldeia é o “Coração do Xisto”. A sua relação com o xisto é por demais evidente. Mas não só da pedra se construiu esta povoação. Vale a pena descobrir os pequenos tesouros que Sobral de São Miguel esconde.
O slogan da aldeia “O coração do xisto” não é inocente. Esta aldeia será um dos maiores aglomerados de edifícios em xisto de Portugal. Porém, a grande maioria das construções encontra-se rebocada e pintada predominantemente de branco.
Daqui se exporta xisto para o mundo, mas a matéria …

Aldeias de Xisto, Barroca »

[ | Comentários fechados em Barroca | ]
Barroca

No centro da rede
Na Barroca continua a respirar-se um ambiente rural, pautado pelos seus ciclos agrícolas. É aqui a sede da Rede e das Lojas das Aldeias do Xisto.
A parte mais antiga da Barroca está implantada ao longo de um pequeno morro, ladeado por duas linhas de água profundamente cavadas, formando um conjunto perpendicular ao curso do Zêzere, com o qual confina.
A Casa Grande, antigo solar do Séc. XVIII onde hoje funciona o Centro Dinamizador das Aldeias do Xisto, acolhe-nos e lança-nos à descoberta. Na Barroca continua a respirar-se um ambiente rural, …

Aldeias de Xisto, Janeiro de Cima »

[ | Comentários fechados em Janeiro de Cima | ]
Janeiro de Cima

Ó da barca!
À beira do Zêzere grita-se “Ó da barca!” para fazer a travessia do rio. Em Janeiro de Cima era assim que antigamente se uniam as gentes e o comércio das duas margens e hoje é ainda possível fazê-lo num passeio rio acima.
Janeiro de Cima encontra-se na margem esquerda do Zêzere, numa zona quase plana, rodeada por uma extensa manta de terrenos agrícolas.
No núcleo antigo da aldeia, caminha-se sem pressas pelo emaranhado de ruas sinuosas em que as casas se encostam umas às outras revelando as suas características fachadas em …