Home » Arquivo

Artigos na categoria: Serra da Estrela

Destaques, Serra da Estrela »

[ | Comentários fechados em Serra da Estrela | ]
Serra da Estrela

A montanha mágica

De verão ou de inverno, a montanha mais alta de Portugal continental é o cenário perfeito para uns dias descontraídos em contacto com a natureza.

Com uma altitude máxima de 1993 metros na Torre, a Serra da Estrela é uma zona de rara beleza paisagística com desníveis montanhosos impressionantes onde podemos viver intensamente o silêncio das alturas. E aproveitar esses momentos de comunhão com a natureza para observá-la, reparando na variedade da vegetação, nas aves ou nos rebanhos de ovelhas guiados por cães da raça a que a Serra deu nome.
Mas também podemos …

Serra da Estrela »

[ | Comentários fechados em No inverno ou no verão, com ou sem neve, a Estrela é única. | ]
No inverno ou no verão, com ou sem neve, a Estrela é única.

A Serra da Estrela, é, pelas suas características geográficas, um palco privilegiado para viver experiências únicas.

A nobreza das paisagens. Encostas vertiginosas. As lagoas e as pedras esculpidas. Os vales glaciares do Zêzere, de Loriga e de Unhais da Serra. A pureza do ar e o silêncio cristalino. Assim se apresenta a Serra da Estrela. Discreta mas contagiante. Até onde o olhar avista. Não há nada que enganar, é sempre a subir em direção ao céu…
Fique acampado no Covão da Ametade, delicie-se com as Penhas Douradas e mergulhe nas vistas no …

Serra da Estrela »

[ | Comentários fechados em Torre | ]
Torre

A Torre é o ponto de maior altitude da Serra da Estrela e também de Portugal Continental, e o segundo mais elevado da República Portuguesa (apenas a Montanha do Pico, nos Açores, tem maior altitude – 2351 m).

Este ponto não é um cume característico de montanha, mas sim o ponto mais alto de uma serra.
A Torre tem a característica incomum de ser um topo acessível por uma estrada pavimentada, no fim da qual há uma rotunda com um monumento simbólico da Torre existindo também um marco geodésico. Diz-se, embora tal …

Serra da Estrela »

[ | Comentários fechados em Penhas Douradas | ]
Penhas Douradas

As Penhas Douradas localizam-se naquela que é considerada a região mais fria de Portugal, em plena Serra da Estrela, a cerca de 1500 metros de altitude.
Parte integrante do Parque Natural da Serra da Estrela, com uma fantástica vista sobre Manteigas, sede de concelho, e sobre o Vale Glaciar do bonito Rio Zêzere, as Penhas Douradas foram abençoadas pela natureza Serrana, que lhes confere uma beleza única.
As Penhas Douradas são também conhecidas por aqui ter sido instalado a primeira estância de turismo de montanha, que hoje é imagem corrente de toda …

Serra da Estrela »

[ | Comentários fechados em Covão d’Ametade | ]
Covão d’Ametade

Concelho: Manteigas
Latitude: 40.32809450405131
Longitude: -7.587041258811951
O Covão da Ametade é um dos locais mais simbólicos  e mais belos da Serra da Estrela. Está localizado no início do Vale Glaciário do Zêzere. Trata-se de uma depressão mal drenada situada num covão glaciar a jusante do covão cimeiro.
Atualmente é no Covão da Ametade que o rio Zêzere toma corpo, na pequena planície com origem em sedimentos glaciários que anteriormente foi uma lagoa com a mesma origem. É uma zona bastante atrativa devido à vegetação envolvente maioritariamente composta por bétulas, planta esta que tem a particularidade de criar um ecossistema …

Serra da Estrela »

[ | Comentários fechados em Poço do Inferno | ]
Poço do Inferno

O Poço do Inferno é uma cascata com cerca de 10 metros de altura situada na ribeira de Leandres a cerca de 1100 metros de altitude.
Fica situada junto à estrada municipal/florestal e é um local bastante aprazível para se visitar no verão, porque tem   muita sombra e biodiversidade devido aos bosques de grandes castanheiros e pseudotsugas que rodeiam o local. Durante o inverno devido ao frio e à grande altitude, a cascata chega a congelar apresentando momentos fotográficos únicos.
Sendo o Poço do Inferno  um dos ex-libris da Serra da Estrela, …

Serra da Estrela »

[ | Comentários fechados em Lagoas | ]
Lagoas

A Serra da Estrela, surpreende, mesmo a quem já a visitou várias vezes, com lugares de rara beleza, tão desejados para passar uns dias e descontrair longe das multidões.

A Serra da Estrela, alberga o mais importante conjunto de lagoas naturais existente em Portugal.
Localizadas na sua maioria acima dos 1500m de altitude, estas lagoas, são o resultado da acção dos gelos do ultimo período glaciário.
A acção erosiva e acumulação de sedimentos glaciários resultantes do movimento do gelo, permitiu o aparecimento de bacias, na grande maioria pouco profundas, posteriormente preenchidas pela água …

Serra da Estrela »

[ | Comentários fechados em Cantaro Magro | ]
Cantaro Magro

O Cântaro Magro é um ícone da Serra da Estrela sendo a cara de vários postais desde os primeiros tempos em que se registam fotografias da Serra, está situado junto à Nacional 338 que dá acesso à Torre é um local de beleza única devido à ação dos Glaciares que outrora se ali encontravam.
Em si o Cântaro é um Nunatak, uma forma de Relevo que foi posta em evidência pela erosão diferencial devido à ação Glaciária, esta forma de relevo durante a glaciação não esteve coberto pelo Glaciar emergindo acima …

Roteiros »

[ | Comentários fechados em Vales glaciares da Serra da Estrela | ]
Vales glaciares da Serra da Estrela

Únicos em Portugal, os vales Glaciários da Serra da Estrela são hoje a montra de como a glaciação deixou os melhores testemunhos .

Venha descobrir a Rota dos Vales Glaciários. Esta é uma terra única, onde a natureza vive.

Esta rota permite ver o local de origem do glaciar (a cúpula do cimo da montanha), os vales desenhados pelas várias línguas de gelo e os depósitos deixados por esta massa de gelo em movimento.

A GLACIAÇÃO NA SERRA DA ESTRELA – Há milhares de anos atrás a Glaciação na Serra da Estrela permitiu a existência …

Roteiros »

[ | Comentários fechados em Vale Glaciar do Zêzere | ]
Vale Glaciar do Zêzere

Corresponde à língua glaciária de maior dimensão da Serra da Estrela, atingindo os 13 km de extensão.

Pode ser facilmente observado o local em que o glaciar ultrapassava a zona da actual vila de Manteigas, tendo-se dissolvido a cerca de 680 m de altitude. O enorme comprimento do vale glaciário, deve-se ao facto de ter sido alimentado pelas línguas da Nave de Santo António, Covão da Ametade, Candieira e Covões , progressivamente.
A espessura da língua de gelo atingia na parte montante do vale cerca de 300m, o que pode ser confirmado …